domingo, 17 de maio de 2015

Dia 71: 2011 - Lira (José Paes Lira "Lirinha")

O Disco de Hoje me fez refletir, o que é que Recife tem? Tem Chico Science, tem Nação Zumbi, tem Mundo Livre S.A, tem Otto... Caio no erro de pensar que são apenas frutos da efevercência do manguebeat do começo dos anos 90. Com um pouco mais de cuidado, constato que uma revolução da importância do manguebeat não nasce do zero. Vamos pesquisar... O que mais Pernambuco tem? Tem Luiz Gonzaga, tem Alceu Valença, tem Geraldo Azevedo, Azulão, Bezerra da Silva, Lula Cortês, tem o Lenine, que alguns acham que surgiu do nada por volta do ano 2000, na novela da globo. O que mais? Tem Karina Buhr, tem Siba, tem Cordel do Fogo Encantado.

Recife tem algo especial, tem uma inspiração, uma dor... Tem o mangue. Tem público, tem gente pulando, gritando, dançando, sentindo a música. Pernambuco tem o sertão. Daí em quase chego lá... Pernambuco tem o maracatu, com seus sons, símbolos e sincretismo. Tento imaginar o que seria da música brasileira sem Pernambuco. A ausência deste pequeno estado causaria um rombo considerável e irreversível na música do mundo.

O Disco de Hoje é o primeiro disco solo do Lirinha, alma do extinto Cordel do Fogo Encantado. Tive a oportunidade de vê-los ao vivo em Belo Horizonte em 2002 e só me vem uma coisa à memória: transe coletivo. Não era uma banda, eram feiticeiros. 

Mas não ouça Lira esperando cordel... Mais maduro, mais dor, mais guitarras, menos percussões, mais psicodelia... Tem a produção e bateria do Pupillo (Nação Zumbi) e teclados do Bactéria (Mundo Livre S.A.). Só isso já merece atenção. Lira ainda tem a participação superespecial do Otto, Ângela Ro Ro, Lula Cortês e Fernando Catatau.

Vamo logo para algumas faixas. Fui apresentado à excelente "Ela vai dançar", que me arrebatou com força. Me fez pensar nas inúmeras festas dançantes de um homem só que já promovi em casa, provavelmente em alguma quarta-feira.

"Noite fria", um chorinho com cavaquinho, trompete cortante, e um trio de vozes femininas. Uma viagem pelo mundo, preso ao mesmo amor, à mesma melancolia. "Valete" traz a voz de Ângela Roro e Otto, excelente música, excelente letra e arranjos, distorcendo a guitarra acentuando a dor da poesia.

Veja o lindo clipe em animação de "Ela vai dançar" e, depois mergulhe no Disco de Hoje.



.