segunda-feira, 28 de abril de 2014

Dia 8: 1970/2000 - Tecnicolor (Os Mutantes)


O Disco de Hoje ficou na geladeira por 30 anos, gravado em 1970, lançado em 2000, talvez aguardando que a música chegasse em seu tempo "certo". É um disco feito prá gringo, o que tem vantagens e desvantagens. Uma desvantagem, na minha opinião, é a perda de parte da riqueza poética das letras nas traduções para inglês, espanhol e francês, apesar de terem tentado manter o sentido das músicas. Só como exemplo, "Ela é minha menina" vira "Oba oba she's my shoo shoo".

Uma vantagem de ter sido feito para conquistar os mercados americano e europeu é o cuidado e limpeza dos arranjos instrumentais, bem como a inserção de mais elementos de música brasileira e bossa nova (cuícas, pianos, pandeiro) nestes arranjos, o que nas versões originais não era tão comum.

Como descrever Os Mutantes? A melhor banda brasileira de rock de todos os tempos? Um grupo brasileiro que produzia rock psicodélico pari passu ao grande Pink Floyd. Me desculpem, mas estou falando dOs Mutantes de 1966 até 1973, com Rita Lee, Arnaldo Baptista e Sérgio Dias, não das outras criações posteriores, que conheço pouco.

O disco é todo de regravações traduzidas de músicas de outros discos da banda, com exceção da música que dá nome ao disco ("Technicolor") que não aparece em nenhum outro trabalho. Esta é excelente e empolgante. Me chama atenção também esta versão da "Bat Macumba", que vai sendo desconstruído sílaba por sílaba, até virar Bah, passando por Batman, depois construído gradualmente novamente. Além disto, tem alguns dos grandes sucessos da banda, como "I feel a little spaced out" ("Ando meio desligado"), "Baby" (linda, leve e solta), "I'm sorry Baby" ("Desculpe Baby") e a pesadassa "Saravá".

Bom, se você acha que sabe alguma coisa de música brasileira e não conhece Os Mutantes, "you know nothing John Snow".

Ouve aí.