sexta-feira, 23 de maio de 2014

Dia 22: 1969 - Caetano Veloso (Caetano Veloso)


Com mais de um mês de Disco de Hoje, e ainda não postamos nenhum da santíssima trindade da Música Popular Brasileira: Caetano, Gil e Chico Buarque. Não tenho referência alguma para a afirmação de que esta é a tríade (apenas uma impressão pessoal), e não saberia dizer quem é o pai (Chico?, apesar de ser o mais novo), o filho (Caetano?) e o espírito santo (Gil?). O difícil é escolher qual disco postar de cada um, mas como não temos a preocupação de escolher o melhor disco, coloco um que escutei ontem e gostei muito.

Este é o álbum branco do Caetano, seu segundo, uma das muitas homenagens aos Beatles, assim como "Qualquer Coisa" é o Let it Be. Apesar das chatíssimas (na minha humilde opinião) "Marinheiro Só" e "Atrás do Trio Elétrico", o álbum é excelente. É todo marcado por solos de guitarra, barulhinhos e psicodelia.

"Irene" abre o álbum com um divertido erro de gravação do Gil, que se esquece de cantar. O que é "The Empty Boat"? Angustiante, arrepiante, mostrando bem a fase em que o disco foi feito: prisão, pré-exílio, medo. Será preciso sofrimento para produzir música boa? "Lost in Paradise" é genial nas suas transições, acalmando e infernizando o ouvinte a todo tempo. "Os Argonautas" é um fado, uma referência ao lusitano que Caetano tanto gosta. Ainda tem "Carolina" do Chico, a tristíssima "Chuvas de Verão" e a poesia concreta de "Acrilírico". Para fechar com a chave de ouro da psicodelia, "Alfomega" do Gil, uma sonzera dançante muito louca.

Deguste no tubius, ou aumente alguns megabytes de qualidade no seu HD.